Em breve, teremos uma história totalmente nova para o personagem mais icônico de todos os tempos – nos quadrinhos, nos filmes, na cultura popular: “Coringa” do diretor Todd Phillips. Um novo olhar radical sobre o palhaço do Príncipe do Crime, inspirado em Scorsese e no cinema urbano arrojado da década de 1970, desta vez é Joaquin Phoenix sob a maquiagem de rosto alegre – e é uma encarnação que quebra todas as regras em torno do personagem.

A edição de agosto de 2019 da revista Empire – à venda na quinta-feira, 11 de julho (nos EUA) – dá uma espiada exclusiva no filme de histórias em quadrinhos hiper intenso e de baixo orçamento – e, de acordo com Phillips, será sua própria e única fera. “Nós não seguimos nada das histórias em quadrinhos, sobre as quais as pessoas ficarão loucas”, diz o roteirista-diretor à Empire. “Acabamos de escrever nossa própria versão de onde um cara como o Coringa pode vir. Isso é o que foi interessante para mim. Nós nem estamos fazendo Coringa, mas a história de se tornar o Coringa. É sobre esse homem “.


Confira todas as imagens deste álbum

Esse homem é Arthur Fleck – um homem vulnerável e danificado que acabará, inevitavelmente, se tornando o criminoso psicopata que ataca Gotham City. E para o cineasta, Phoenix sempre foi o homem para o papel. “Acho que ele é o melhor ator”, diz Phillips. “Nós tínhamos uma foto dele em cima do nosso computador enquanto estávamos escrevendo. Sempre pensávamos: ‘Deus, imagine se Joaquim realmente fizer isso'”.

Não teremos que imaginar – veremos o filme final em toda a sua glória nos cinemas a partir de 4 de outubro.

Fonte.