Filme “Viagem ao Mundo dos Sonhos” pode virar série de TV

Cary Fukunaga e David Lowery estão se unindo para escrever um roteiro piloto para a Paramount Television baseado no filme “Viagem ao Mundo dos Sonhos” dirigido por Joe Dante em 1985, o filme de ficção científica de maior sucesso estrelado por Ethan Hawke e River Phoenix. Fukunaga e Lowery escreverão o roteiro e um deles dirigirá o piloto, caso chegue a isso.

O filme conta a história sobre um garoto obcecado por filmes de ficção científica dos anos 50 que tem um sonho recorrente sobre um projeto. Ele desenha para seu amigo inventor e com a ajuda de um terceiro amigo, eles acabam construindo uma nave espacial. Essa será a base para a série.

Fonte: Deadline.

25 anos sem River Phoenix!

Hoje completam 25 anos da morte de River Phoenix. Sua irmã, Rain Phoenix, fez no instagram uma linda homenagem a River, como costuma fazer todos os anos. Confira:

No 25º aniversário da sua morte, em comemoração à vida do meu irmão River, queria compartilhar este vídeo especial para a sua canção “In The Corner Dunce”, escrita e gravada quando ele tinha 18 anos. As filmagens são da nossa turnê em 1991, das quais metade dos shows eram concertos em benefício das causas que ele apoiava. River e eu começamos a cantar juntos quando ele tinha 5 anos e eu tinha 3 anos. Ele era meu tudo criativo. Sinto-me tão feliz pelo tempo que passamos juntos e ele ainda está presente em tudo o que faço. River foi um campeão dos marginalizados e incompreendido. Ele era um defensor da esquerda da expressão central. Ele viveu e respirou música. Para River, honestidade e autenticidade não eram negociáveis, elas eram sua estrela do norte e isso refletia na integridade de seu trabalho. É por isso que eu sinto que é importante que o Aleka’s Attic seja o primeiro post no LaunchLeft. É minha esperança que este espaço possa se tornar um porto seguro para os artistas de esquerda do centro para quem, como River, a criatividade radical não é uma escolha, mas uma necessidade. Feliz dia das bruxas xxx Rain

Samantha Mathis fala sobre a morte de River Phoenix

A uma semana do 25º aniversário da morte do ator River Phoenix, aos 23 anos e no auge do sucesso, sua namorada e também atriz, Samantha Mathis falou pela primeira vez ao jornal inglês The Guardian sobre a última noite com River Phoenix.

Mathis contou à repórter que esperava estar no clube apenas para deixar os irmãos de Phoenix. “Mas, quando chegamos, ele me disse: ‘Oh, há algumas pessoas tocando música hoje à noite no clube que querem que eu toque com elas – tudo bem, certo ?'”, relembrou. “Eu sabia que algo estava errado naquela noite, algo que eu não entendia. Eu não vi ninguém usando drogas, mas ele estava ‘alto’ de uma maneira que me fez sentir desconfortável”, continuou a atriz, que conheceu Phoenix quando ambos tinham 19 anos, e contracenou com o namorado em “The Thing Called Love” (“um sonho, dois amores”), daquele mesmo ano.

A atriz sabia que Phoenix queria ficar no clube, e achou que não demoraria muito – afinal, algumas de suas coisas estavam no porta-malas do carro dela. Mas, “quarenta e cinco minutos depois, ele estava morto”, relembrou, em lágrimas.

“Eu sabia que ele estava chapado naquela noite, mas a heroína que o matou ele não usou antes de chegar ao Viper Room”, continuou a namorada, que em dado momento viu o que imaginou ser Phoenix em uma briga com outro homem, e os dois sendo empurrados para fora da porta lateral do clube por um segurança. Quando ela foi para a rua depois deles, viu o ator cair no chão e entrar em convulsões na calçada.

Mathis narrou ter tentado desesperadamente voltar ao clube para buscar ajuda, mas a porta lateral estava fechada. Então ela correu para a porta principal, procurou por Rain e Joaquin, que ligou para o 911 (emergência) pedindo ajuda em um telefonema que quase imediatamente vazaria para os jornais: “Ele está tendo convulsões! Venha aqui por favor, por favor, porque ele está morrendo, por favor”, soluçou o garoto de 19 anos na época. Phoenix já estava imóvel quando os paramédicos chegaram, e foi declarado morto no hospital. Ele morrera de uma overdose de cocaína e heroína. Em seu corpo foram encontradas quantidades oito vezes superiores à dose letal das duas drogas, assim como efedrina e valium.

Samantha Mathis conversou com a repórter por telefone, de seu apartamento, em Nova York. A atriz disse ainda que nunca havia falado sobre a noite da morte do namorado com tanta profundidade antes. “‘Exceto para o meu terapeuta’, disse, com uma risada triste. Em parte porque ficou tão traumatizada com a morte dele que bloqueou muitas memórias. Mas ela viu recentemente, pela primeira vez desde que Phoenix morreu, ‘The Thing Called Love’, o último filme em que atuaram juntos, o que a fez pensar em coisas que não tinha pensado em décadas. Então, quando recebeu uma mensagem minha dizendo que queria falar com ela, pareceu-lhe que o universo queria que ela falasse sobre ele”, escreveu a jornalista do The Guardian.

Fonte.

Filme sobre Han Solo tem homenagem a River Phoenix

As informações são do site Sapo Mag.

Após passar pelas salas de cinema sem causar o mesmo entusiasmo nos fãs que outros filmes da saga, “Han Solo: Uma História de Star Wars” foi lançado em formato digital nos EUA na sexta-feira.

Para assinalar a data, Jon Kasdan, que escreveu o filme sobre a juventude do contrabandista mais famoso da “galáxia muito distante” com o pai Lawrence Kasdan, compartilhou 52 curiosidades sobre o filme nas redes sociais.

A mais comovente e inesperada será a homenagem escondida ao ator River Phoenix, falecido em 1993, aos 23 anos.

“O Han a tirar uma enguia das suas calças era uma referência ao River Phoenix, que trabalhou com Lawrence Kasdan em ‘Te Amarei Até Te Matar’ [I Love You to Death – 1990] e que foi o primeiro na assustadora missão de interpretar uma versão mais jovem de um personagem icônico de Harrison Ford”, explica a curiosidade seis da lista.

Jon Kasdan se refere ao fato de River Phoenix ter interpretado no início de “Indiana Jones e a Última Cruzada” (1989) o famoso arqueólogo na adolescência, numa cena em que tirava uma cobra das calças.

Como Keanu Reeves convenceu River Phoenix a interpretar um garoto de programa

O Norton Commando de 1974 que Keanu Reeves dirige em “My Own Private Idaho” (Garotos de Programa), de Gus Van Sant, é a mesma motocicleta que Reeves pilotou 2 mil quilômetros para entregar o roteiro a River Phoenix e convencê-lo a estrelar o filme.

Gus Van Sant sempre teve Reeves e Phoenix em mente para os dois protagonistas do filme, Scott Favor e Mike Waters, depois que ele percebeu que não poderia fazer o filme com verdadeiros das ruas. Conseguir que os dois atores concordassem com o filme era um desafio. Ele enviou o roteiro, que ele baseou vagamente no Henry IV de Shakespeare, Parte 1, Henry IV, Parte 2, e Henry V, para os dois agentes dos atores. Reeves leu, gostou e assinou para interpretar um dos protagonistas, Scott Favor, o filho distante do prefeito de Portland. “Eu acabei de terminar “Point Break” (Caçadores de Emoção) e ainda estava no meu personagem. Senti um pouco de ansiedade com Idaho”, Reeves disse à Interview em novembro de 1991. “Fiquei impressionado com o que tinha que fazer – era tipo, Oh, não! Posso fazer isso? Eu estava com medo. Mas Gus e River me fizeram encaixar. Disseram: ‘Vamos fazer um filme foda'”.

O agente de Phoenix, Iris Burton, parou de ler o roteiro na metade da primeira página. Ela nem deixaria seu cliente de 20 anos dar uma olhada. Então Gus Van Sant colocou ideia na cabeça de Reeves. Por que não fazer uma visita até Micanopy, na Flórida, na fazenda da família Phoenix – nos arredores de Gainesville – e entregar uma cópia para o próprio River? Afinal, os dois se conheceram no set do filme “Parenthood” (O Tiro Que Não Saiu Pela Culatra) de 1989, que Reeves atuou ao lado de Joaquin Phoenix (e a namorada de River, Martha Plimpton).

Reeves, então com 26 anos, viajou de Toronto em dezembro de 1990 e pessoalmente entregou o roteiro. River leu e ficou encantado com o personagem de Scott Favor. Reeves já era o ator ideal para esse papel, então Gus Van Sant foi encarregado de convencer Phoenix a assumir o papel mais ousado: Mike Waters. “Você acha que alguém teria pegado esse roteiro dez anos atrás?” Phoenix disse à entrevista.

Foi só mais tarde, dirigindo juntos pela avenida Santa Monica, que os dois fizeram um pacto para atuar no filme. “Ok, eu farei se você fizer. Eu não faço se você não fizer”, disse Phoenix, antes de selar o acordo com um aperto de mão.

Fonte.

River é homenageado na festa de 35 anos da PETA

Em sua festa de 35 anos, que aconteceu na quarta-feira, River recebeu um prêmio em seu nome, o Prêmio Humanitário River Phoenix. Seus irmãos Joaquin, Rain, Summer e Liberty, ao lado de sua mãe Arlyn, entregaram o prêmio a Shaun Monson.

Image00025

“Dark Blood” ganha distribuidora e finalmente será lançado!

DarkBlood__140516191357

Lionsgate comprou os direitos de distribuição do último filme estrelado por River Phoenix. “Dark Blood” foi originalmente filmado em 1993, mas tinha permanecido com problemas de direitos no qual o diretor e co-roteirista George Sluizer vinha tentando livrar o filme. Aparentemente, tudo já está resolvido, e Lionsgate está planejando um lançamento nos EUA, depois que o filme foi exibido em 2013 no Festival de Berlim. Cinemavault vendeu o filme em Cannes.

O filme tem uma história. Cerca de 80% foi filmado antes de Phoenix morrer. Na época, o produto inacabado foi revertido para companhia de seguros do filme antes de Sluizer recupera-lo. Em Berlim, ele explicou que, em 1999, ele aprendeu a filmagem que ia ser destruída e dentro de dois dias foi capaz de salvá-lo e levá-lo de volta para a Holanda. Sluizer disse que o material “foi colocado sob meus cuidados por muitos anos à espera que algo acontecesse com ele. Eu estava fazendo outros filmes na época e era seguro.” Mas quando soube que ele tinha um aneurisma com risco de vida, em 2007, ele decidiu, “Antes de morrer eu quero remontar Dark Blood da melhor forma possível.” Para as cenas que não foram concluídas no momento da morte de Phoenix, Sluizer oferece a sua própria voz.

O filme conta a história de Boy, um jovem viúvo que vive numa região de testes nucleares, depois de ajudar casal com carro quebrado os faz de prisioneiros.

Dark Blood está nos cinemas no Japão, e está programado para ser lançado no Brasil, Coréia do Sul e Turquia.

Fonte.
Obrigada Tanali.

Berlim seleciona último de River Phoenix

Foram anunciados os últimos filmes selecionados para a mostra principal do 63º Festival de Berlim, que ocorre de 7 a 17 de fevereiro.

Ao todo serão 24 filmes, 19 deles concorrendo pelo Urso de Ouro. Entre as últimas adições, dois longas fora de competição chamaram a atenção. Um deles é Before Midnight, continuação de Antes do Amanhecer e Antes do Pôr-do-Sol, filmes de Richard Linklater protagonizados por Ethan Hawke e Julie Delpy. O longa também será exibido no Festival de Sundance.

Além dele, Dark Blood, de George Sluizer, está na lista. O longa foi filmado em 1993 e foi interrompido devido a morte do ator River Phoenix, protagonista do filme. O diretor o finalizou e após 20 anos o exibirá pela primeira vez.

Veja a lista completa:
Before Midnight – Estados Unidos/Grécia – de Richard Linklater – Fora de competição
Dark Blood – Holanda – de George Sluizer – Fora de competição
Dolgaya Schastlivaya Zhizn (A Long And Happy Life) – Rússia – de Boris Khlebnikov
Night Train To Lisbon – Alemanha/Suíça/Portugal – de Bille August – Fora de competição
Prince Avalanche – Estados Unidos – de David Gordon Green
Uroki Garmonii (Harmony Lessons) – Cazaquistão/Alemanha – de Emir Baigazin
Vic+Flo Ont Vu Un Ours (Vic+Flo Saw A Bear) – Canadá – de Denis Côté
W Imię… (In The Name Of) – Polônia – de Małgośka Szumowska
Anunciados anteriormente:
Camille Claudel 1915, de Bruno Dumont – França
Elle S’En Va (On My Way), de Emmanuelle Bercot – França
Epizoda U Zivotu Berača Seljeza (An Episode In The Life Of An Iron Picker), de Danis Tanovic – Bósnia/França/Eslovênia
Gold, de Thomas Arslan – Alemanha
La Religieuse (The Nun), de Guillaume Nicloux – França/Alemanha/Bélgica
Layla Fourie, de Pia Marais – Alemanha /África do Sul/França/Noruega
The Necessary Death Of Charlie Countryman, de Fredrik Bond – Estados Unidos
Parde (Closed Curtain), de Jafar Panahi e Kambozia Partovi – Irã
Terapia de Risco, de Steven Soderbergh – Estados Unidos
The Grandmaster, de Wong Kar Wai – China – Fora de Competição
Gloria – Chile/Espanha – Sebastián Lelio
Nugu-ui Ttal-do Anin (In Another Country) – Coréia do Sul – Hong Sang-soo
Paradies: Hoffnung (Paradise: Hope) – Áustria/França/Alemanha – Ulrich Seidl
Poziţia Copilului (Child’s Pose) – Romênia – Călin Peter Netzer
Promised Land – Estados Unidos – Gus Van Sant
Os Croods – Estados Unidos – Kirk De Micco e Chris Sanders – Fora de Competição

Fonte.