Entrevista Traduzida: UPROXX


17 de novembro de 2021 | Publicado por Aline

Entrevista original: uproxx | Publicada em 15/11/2021 por Mike Ryan.
Tradução por JPBR.

Mike Mills e Joaquin Phoenix em um Portait de “C’mon C’mon” em NYC em Outubro de 2021. Foto: Andy Kropa.

É certo que houve uma sensação de, digamos, trepidação antes de encontrar Joaquin Phoenix para uma entrevista na varanda de um quarto de hotel em Midtown Manhattan. Esta seria minha primeira entrevista pessoal desde março de 2020 e foi com um ator que deixa bem claro que não gosta de dar entrevistas. Quando cheguei, disseram que Phoenix havia solicitado que a entrevista fosse emparelhada com o diretor do C’mon C’mon, Mike Mills. Eu também deveria entrevistar Mills mais tarde naquele dia e decidi não reclamar porque eu não iria dizer ao cara que já odeia entrevistas que recusei seu pedido para tornar a entrevista mais confortável para ele. (Sim, “Ei, desculpe, não pude concordar com seu pedido, mas agora vamos nos aprofundar em quem você é”, não parecia que ia ser muito bom.)

O que aprendi sobre Joaquin Phoenix é, sim, é verdade que ele não gosta de entrevistas – e seu humor muda tão drasticamente de minuto a minuto que eu não tinha ideia de como estava indo. A certa altura, ele se levantou e foi embora e eu não tinha ideia do motivo ou se ele voltaria ou não; ele voltou – mas ele nunca é um idiota sobre isso. (Ele parecia mais feliz quando estávamos falando sobre os programas de televisão de Lee Majors, Duro na Queda e O Homem de Seis Milhões de Dólares, e parecia menos feliz quando falava de si mesmo.) A melhor comparação que posso pensar é como reajo quando meu optometrista quer me aplicar o teste de sopro de ar. Estou infeliz e muito estressado, mas não estou bravo com o optometrista. Eu sei que faz parte do acordo e temos que acabar com isso.

O desempenho de Joaquin Phoenix no maravilhoso C’mon C’mon de Mike Mills (Título no Brasil: “Sempre Em Frente”) não é um desempenho típico de Joaquin Phoenix porque, estranhamente, parece relativamente “normal”, ao ponto de parecer anormal para Phoenix. Este filme não será cobrado como “Joaquin Phoenix dá sua virada mais sombria até então”. Phoenix interpreta Johnny, um jornalista que está fazendo uma série de entrevistas em todo o país com crianças sobre suas esperanças, sonhos e futuro. Sua irmã, Viv (Gaby Hoffmann) está passando por uma fase difícil e ele se oferece para levar seu filho, Jesse (Woody Norman), junto com ele em suas viagens para dar-lhe espaço para respirar. Ao longo do caminho, Johnny e Jesse começam a se relacionar. E, como Mills aponta, o filme começou como uma história inspirada por seus próprios filhos (seguindo ‘Toda Forma de Amor’, um filme sobre seu pai, e ‘Mulheres do Século 20’, sobre sua mãe), mas depois se tornou mais sobre Joaquin Phoenix e Woody Norman se relacionando em vida real, e vemos esse relacionamento se desdobrar na tela.

Mas, primeiro, antes de entrarmos em tudo isso (e a declaração sincera de Phoenix de que ele acabou de perceber que quer fazer um filme de ‘O Homem de Seis Milhões de Dólares’), Phoenix me dá alguns conselhos…

Joaquin Phoenix: A vida é uma porra de um ‘talvez’.

Esse deve ser o seu mantra.

Joaquin Phoenix: Sim, é meu mantra, meu mantra não falado.

Mike, você disse que este é um filme sobre a relação de Joaquin com Woody como atores e como eles se relacionam durante as filmagens.

Mike Mills: Definitivamente começou comigo e meu filho, certo? E eu estava escrevendo sobre coisas que observei. E então, quando você começa a escrever, ele pega sua própria luz, apenas se afastando de você. E então esses caras vieram e, no final do filme, eu senti que não estávamos apenas filmando Jesse e Johnny, havia algo acontecendo entre Joaquin e Woody que está na tela para a qual a câmera estava disponível.

Joaquin Phoenix: Joaquin e Woody neste ambiente em que normalmente não estariam, certo? Então o que é isso? Que situação é essa? Quer dizer, espero que seja sempre assim? Qualquer que seja o ambiente que você criou, sempre que as pessoas interagem dentro desse ambiente de repente se tornam apenas aquelas pessoas interagindo umas com as outras, certo?

Mike Mills: Há algo real acontecendo entre todos, eu sinto.

Você se sentiu assim durante as filmagens, que vocês estavam criando um vínculo?

Joaquin Phoenix: Bem, espere, cara. Porque se eu dissesse não, sei que Woody diria: “Que piada de merda. Ele disse que queria ter um vínculo comigo!”

Sim, você receberia uma mensagem dele.

Joaquin Phoenix: Eu não sei qual é a analogia certa. Mas com esse grupo de pessoas, principalmente esse tipo de filme, esse grupo muito pequeno de pessoas, certo? Existe um vínculo que eu acho que todos nós formamos juntos de maneiras diferentes. Porque não éramos apenas eu e Woody sozinhos. Estamos interagindo com 20 pessoas todos os dias. Estamos reagindo às novas pessoas que Mills está trazendo para nosso pequeno grupo e estamos trabalhando com novos atores e alguns não-atores. Então, obviamente, um vínculo é formado. Eu não sei se pensei dessa forma. Eu não tentei fazer isso conscientemente. Mas acho que, inevitavelmente, isso acontece. Vocês estão passando todos os dias juntos, certo? Então é claro que isso surgiu. E ele é tão impressionante. Ele é uma pessoa verdadeiramente sensível, empática e atenciosa que sente as coisas com muita força. E há uma certa responsabilidade, eu acho, em algumas das coisas que falamos em alguns daqueles momentos que tivemos.

Ele sabe que você atuava quando tinha mais ou menos a idade dele? Ele sabe disso?

Joaquin Phoenix: Sim.

Você diz isso a ele?

Mike Mills: Woody é a pessoa mais inteligente da mesa, de longe. Então, ele sabe tudo e Woody é a pessoa inteligente mais desenvolvida do set.

Você dizia a ele: “Amigo, quando eu tinha a sua idade, fazia episódios de ‘Duro na Queda’ (The Fall Guy) e você está em um filme de Mike Mills, então você está indo muito bem…”

Joaquin Phoenix: Sim, eu estava hiperconsciente disso. Não, cara, nós conversamos sobre isso. [Risos] Mas ‘Duro na Queda’ era foda! Portanto, não fale mal de ‘Duro na Queda’.

Oh, não estou. Assistia ‘Duro na Queda’ todas as semanas. Colt Seavers.

Joaquin Phoenix: Sim, sei que conversamos muito sobre isso. Nós conversamos muito sobre isso. Falei muito sobre isso hoje. Que experiência inicial legal, mas não sei o que mais ele fez. Você viu um trabalho anterior dele?

Mike Mills: Não.

Joaquin Phoenix: Só quando você o conheceu que soube era a pessoa certa?

Mike Mills: Na audição, sim.

Joaquin Phoenix: Você conheceu e trabalhou com ele e então eu o conheci, certo?

Mike Mills: Assim como no dia anterior.

Só porque eu queria ver, eu procurei aquela cena de ‘Duro na Queda’. Eu esperava que fosse um momento comovente entre você e Lee Majors, ou algo assim. Há uma gangue de motociclistas tentando roubar sua pipa.

Joaquin Phoenix: Foi isso que eu fiz? Não me lembro.

Está no YouTube. (aqui)

Joaquin Phoenix: Isso é incrível.

Sim, você está sendo atormentado. Mas não por crianças. Literalmente, uma gangue de motociclistas está apenas tentando roubar sua pipa. Do que se trata? Quem faria isso?

Joaquin Phoenix: [risos] Do que se trata?

Essa é a gangue de motociclistas mais cruel.

Joaquin Phoenix: É a gangue de motociclistas mais incrível. O que estava acontecendo em 1982? Foi em 1983? Quando foi isso?

Acho que foi em 1984.

Joaquin Phoenix: 1984?

Mike Mills: ‘O Homem de Seis Milhões de Dólares’ com Lee Majors?

Joaquin Phoenix: Sim, mas não, é diferente, certo? Ele é um caçador de recompensas…

Sim, ele era um dublê caçador de recompensas …

Joaquin Phoenix: ‘Duro na Queda’ foi depois, certo?

Você era muito jovem na época de ‘O Homem de Seis Milhões de Dólares’.

Joaquin Phoenix: Não! Eu me lembro de ‘O Homem de Seis Milhões de Dólares’!

Não para ver, mas para estar no show.

Joaquin Phoenix: Certo.

As pessoas sempre tentam refazer o show.

Joaquin Phoenix: Estamos realmente fazendo isso.

Uau, notícias de última hora.

Joaquin Phoenix: Devíamos fazer isso!

Mike Mills: Você está dirigindo o primeiro.

Joaquin Phoenix: Por que não? Eu realmente acho que devemos fazer isso.

Mike Mills: “Como vocês começaram este filme?” “Bem, nós fizemos esta entrevista para a Uproxx e …”

Acho que Mark Wahlberg está tentando fazer isso. Então você terá que brigar com ele.

Mike Mills: Ele não é tão grande.

Joaquin Phoenix: Não, trabalhamos juntos. Não temos que brigar.

Quer dar um conselho a Woody? Você diz que ele é o cara mais inteligente da sala, então talvez ele não precise disso.

Joaquin Phoenix: Acho que ele me deu conselhos e eu os escutei. Eu ouvi no dia anterior e ainda utilizo até hoje. Acho que nunca dei um conselho a ele, certo?

Mike Mills: Eu acho que Joaquin está super disponível para Woody e focado nele, e essa é uma forma de conselho. Mas acho que Joaquin nunca presumiu que poderia ensinar Woody. E então, se você conhecer Woody, ele também não se sentirá assim. Ele é uma pessoa super capaz e tem suas próprias ideias.

Você acha que esse filme faz parte da sua trilogia sobre família, de certa forma?

Mike Mills: Não.

Não acha?

Mike Mills: Não, entendi. Entendi. Isso significaria que eu pretendia fazer isso.

Oh, entendi.

Mike Mills: Então, cada um eu não fiz pensando nisso. Meu pai estava morrendo e eu pensei, ‘oh, isso é algo que talvez eu pudesse dizer’. E então, não, meu curso foi completamente: eu sou o último a saber o que diabos estou fazendo. Eu não planejo. Não funciona assim. Então, eu sei que realmente gosto de trabalhar com coisas que vi ou experimentei. E senti que talvez então pudesse relatar algo de interesse ou com detalhes ou que talvez tivesse algo real sobre isso, certo? Então isso é tudo que eu sei.

Então, não foi planejado, mas tenho a sensação de que você esperava que pessoas como eu provavelmente falassem sobre isso.

Mike Mills: Bem, provavelmente estava na minha cabeça. É tipo, ‘ok, então todo mundo vai pensar assim’. Eu não vou deixar isso me impedir. Eu simplesmente vou continuar e só porque isso parece certo.

Sempre fico fascinado com os diretores com quem Joaquin trabalha, porque você fez, eu contei, cerca de 40 filmes até agora. E há apenas quatro diretores com quem você já trabalhou mais de uma vez. Quer trabalhar com o maior número de pessoas possível? Ou não é uma coisa planejada e as coisas acontecem exatamente como acontecem.

Joaquin Phoenix: Isso não tem nada a ver com nada que aconteça na minha carreira. Eu realmente não faço nenhuma escolha, porra, nunca.

Bem, eventualmente você terá que assinar um contrato, presumo.

Joaquin Phoenix: Coisas acontecem. Eu sou guiado por outra coisa. Eu não tenho ideia do que está acontecendo. Então isso é, realmente, eu não saberia como responder a essa pergunta, honestamente. Isso não sou eu sendo evasivo …

Não, não, eu não acho isso.

Joaquin Phoenix: Sou eu sendo o mais honesto possível. Eu venho com razões. Eu até tento inventar razões com essas entrevistas! Mas, honestamente, quanto mais velho fico em meu trabalho, percebo que tenho muito pouco a dizer sobre esse fluxo criativo, como ele é desviado e para onde vai. E eu estou bem sobre o trajeto e apenas me esforço para ser o canal, tanto quanto possível. Mas eu realmente não mereço nenhum crédito por quaisquer escolhas feitas.

Então, eu tenho este café gelado que estou bebendo agora. Se você me perguntar, “esse é o seu sabor favorito?” Eu não sei. Passei pela loja e parecia bom naquele momento. É uma analogia idiota? Essa é provavelmente uma analogia idiota.

Joaquin Phoenix: Não, tudo bem. Qualquer analogia ajuda você a entender, porque também não sei se entendo perfeitamente. Então, seja lá o que for que te ajude. Mas sim, eu não sei. É algo que é – espero fazer parte de qualquer que seja esse espírito ou fluxo criativo que sempre existiu. Eu quero fazer parte disso e isso é tudo. E às vezes, com sorte, consigo embarcar naquele riacho que guiou outros. Eu sei que não é uma resposta satisfatória para você.

Eu não me sinto assim.

Joaquin Phoenix: Mas estou cansado de tentar inventar motivos, essa entrevista “motivo para fazer as coisas”.

Mike Mills: Estando com ele e trabalhando juntos, essa foi uma resposta muito real. Isso é realmente o que acontece o tempo todo.

Bem, você sempre, não importa como você chegou lá, você sempre olha para trás e pensa “Ei, muito bem? Eu tenho que trabalhar com todas essas pessoas. Como quer que tenha acontecido, aconteceu, mas eu ainda tenho que fazer. ”

Joaquin Phoenix: Não, claro, é verdade que estou constantemente em gratidão. Sim, é muito legal.

Acho que o que quero dizer é que você nunca esteve em uma sequência. E você trabalha com todas essas pessoas incríveis. Eu sei o quanto você ama ‘Touro Indomável (Raging Bull) e sua carreira é muito parecida com a carreira de alguém de sucesso daquela época, só que você está fazendo isso em 2021. Se você fosse ator nos anos 70, estou convencido de que também teria se saído muito bem.

Joaquin Phoenix: Mas, por estar aqui há tempo suficiente para passar por várias fases de audição, eles não fazem mais esses filmes apenas para descobrir que aquela coisa criativa, seja lá o que for, é poderosa. E é maior e mais poderoso do que toda a porra de pesquisa e compreensão deles do que funciona, do que vende e do que não vende. É maior do que isso. Ele encontra a porra do seu caminho, não importa o que aconteça, porque sempre foi contra o que é popular e o que funciona e o que deve funcionar, certo? E ele encontra o seu caminho porra. E, portanto, é importante. E, felizmente, tem gente que vem junto… Existem aqueles que estão do outro lado das coisas, o lado financeiro das coisas, que reconhecem, de vez em quando, eles reconhecem uma visão única como Mike Mills e dizem: “Precisamos apoiar isso. Precisamos estar por trás disso.” É incrível que eles estejam lá, certo? É incrível que a A24 esteja por aí agora e diga, “Olha, nós entendemos você. Nós te amamos. Queremos apoiá-lo.”

Mike Mills: A A24, eles nunca me deram uma observação. Tive de implorar que me criticassem.

Espere, como isso funciona? Você foi até eles e disse: “Ei, se você ver algo que não gosta …”

Mike Mills: Bem, durante a edição, eu fiquei tipo, “Vamos lá! O que você realmente acha?” Porque você precisa ouvir e eles dizem: “Bem, nós apenas acreditamos em você”. É como, “O quê?” É, o que quer que eles estejam fazendo, você não pode ficar muito melhor. Porque é tipo, “Vá fazer o que você quer. Não há restrições. Sem truque. Sem manipulação.”

A propósito, concordo com você quando as pessoas dizem: “Oh, eles não fazem filmes mais assim.” Mas você os encontra, é isso. Você sempre os encontra.

Joaquin Phoenix: Eu não os encontro, eles …

Eles encontram você.

Joaquin Phoenix: Claro.

Share via
Copy link
Powered by Social Snap