Michael Stipe, Flea e Rain Phoenix relembram River Phoenix em seu 50º aniversário

Artigo do site floodmagazine.com traduzido:

Em 1991, Aleka’s Attic – a banda que incluía River Phoenix e sua irmã mais nova Rain – pegou a estrada em um trailer para o que seria a última turnê desde a formação, alguns anos antes, na cidade natal dos irmãos, Gainesville, Flórida, e foi um momento especial no tempo. “Havia essa camaradagem de todos estarem juntos e viajando, passando a tocar música todas as noites e percebendo o quão mais próximos ficaríamos como uma banda no final da turnê”, lembra Rain. “Eu era uma adolescente, então ter aquela experiência do que se tornaria minha vida inteira – a música – foi um abrir de olhos.”

Com apenas dezenove anos, a experiência mudou a vida de Rain. Apenas dois anos depois, ela perderia seu irmão River, que morreu em 31 de outubro de 1993 aos 23 anos – mas a música do Aleka’s Attic ainda estava lá. Alguns anos após a morte de River, Rain revisitou as músicas da banda – pelo menos o equivalente a faixas de um álbum – antes de arquivá-las e revisitar vinte e cinco anos depois.

Para comemorar o que seria o quinquagésimo aniversário de River em 23 de agosto, Rain está compartilhando duas faixas inéditas do Aleka’s Attic, “Alone U Elope” e “2×4”, via LaunchLeft, um selo e podcast que ela começou em 2018. Pré-venda em vinil de edição limitada e os produtos oficiais serão lançados no mesmo dia. O single de duas músicas intitulado Alone U Elope apresenta dois amigos próximos de River – Flea do Red Hot Chili Peppers no baixo e Dermot Mulroney no violoncelo. No início deste ano, a LaunchLeft deu início à celebração do aniversário de River com a Launched Artist Digital Singles Series, apresentando singles de novos artistas (com uma conexão de seis graus com River) a cada duas semanas. Com a ajuda de suas irmãs, a campanha começou com a música “Looking Out for Me” da banda de Liberty Phoenix, no Dia das Mães, e terminou na semana anterior ao seu aniversário com o single de estreia de sua irmã Summer, “Tiempo”.

Formado em 1987, Aleka’s Attic era um conto fictício baseado em um personagem sonhado por River – um poeta e uma espécie de filósofo. Aleka tinha uma sociedade secreta de artistas que se reunia em seu sótão e, depois que ele faleceu, algumas crianças encontraram seus escritos e continuam a manter seu espírito vivo compartilhando seu trabalho. “De certa forma, é assim que vejo o lançamento”, diz Rain. “Uma nova geração de crianças pode encontrar seus escritos no sótão de Aleka.”

Ambas as faixas do Alone U Elope foram gravadas originalmente na Flórida no início de 1993. “Alone U Elope” foi escrita mais tarde do que a maioria das outras faixas e é descrita por Rain como mais uma balada pop. “As letras são muito poéticas e há algo nela que parece um dueto com ele e eu, mais gentil e melancólico”, diz ela. “2×4” é o lado mais acelerado do single: “O vocal de River é incrível nele, especialmente no final”, diz Rain. “E eu adoro o baixo de Flea nele. É tão legal. Isso me faz dançar toda vez que ouço.”

Essa sensibilidade é algo que Rain acredita que está atraindo uma geração mais jovem de fãs para seu irmão hoje. “Seus fãs são algumas das pessoas mais gentis e amorosas”, diz ela. “Se você olhar suas postagens [nas redes sociais] e ler o que eles têm a dizer, eles seguiram seu caráter. Eles se preocupam com o meio ambiente, os animais, a humanidade. Eles são todos como pequenos insetos do amor. É tão doce. É incrível pensar que River e Earth Day farão cinquenta anos em 2020 porque ele tem tantos novos fãs que estão na faixa etária do grupo ‘Conta Comigo’! Tenho um senso extra de responsabilidade para com essas crianças. Não consigo me imaginar sendo uma pessoa mais jovem hoje em dia, sei que eles devem estar lutando com tanta ansiedade e medo. Espero que sua memória e o que ele representou possam ser uma fonte de inspiração e motivá-los a agir.”

Lançar “Alone U Elope” não foi fácil para Rain. Ela levou 25 anos para se sentir confortável compartilhando a música que fez com seu irmão, finalmente lançando “In the Corner Dunce” em 2018, seguido pelo single duplo “Time Gone” de 2019, que inclui as faixas “Where I’m Gone” e “Scales & Fishtails”. Embora tecnicamente haja canções dignas de um álbum, Rain diz que River estava relutante em lançar qualquer coisa até que se sentisse bem com isso, razão pela qual ela está tendo cautela ao lançar faixas – muito menos um álbum inteiro – neste momento. Já que River estava em processo de criação de algo que nunca foi concluído, Rain diz que quer fazer o que mais o honraria e o que ele estava fazendo musicalmente.

“É claro que todo mundo quer ouvir tudo, mas isso não significa necessariamente que ele gostaria disso”, diz Rain. “Pelo que eu sei, haveria mais dez músicas. Supor que este foi um álbum é em si uma suposição muito grande. Eu quero que o que venha a ser algo de que ambos nos orgulhemos e que corresponda à sua sensibilidade. O fato de ele não estar mais aqui significa que tenho que ter certeza absoluta. Mesmo quando faço isso aos poucos, tenho que respeitar sua particularidade. ”

Junto com o vinil será lançada uma vasta coleção de novos produtos do Aleka’s Attic, incluindo um pôster “lost in motion” do artista abstrato irlandês Jack Coulter, um design de camisetas vintage do ex-baixista da Aleka’s, Josh McKay, e novos produtos incríveis projetados do próprio animador / designer gráfico da LaunchLeft, Chris Tucci, que também criou o vídeo com a letra de “Alone U Elope”. Rain vai redirecionar as camisetas “River” para incluir a citação manuscrita de seu irmão “Corra para o Resgate com Amor e a Paz seguirá” – as mesmas palavras que o irmão Joaquin citou durante seu discurso de aceitação do Oscar no início deste ano – no verso. Para reforçar ainda mais o ambientalismo de Phoenix, as camisetas também são feitas de materiais reciclados. Clique aqui para visitar o site da loja oficial.

A capa do vinil apresenta uma imagem de Phoenix e seu cabelo bagunçado, uma fotografia tirada pelo amigo íntimo de River, Michael Stipe, o resultado de uma viagem que fizeram à Geórgia. Dirigindo de Nashville a Atenas com Rain e amigos para ver Natalie Merchant tocar, Stipe lembra que estava calor e os cabelos longos de River estavam pendurados em todo o rosto, então eles os trançaram com pedaços de fita adesiva. Quando finalmente chegaram a Atenas, Stipe chamou o artista Jeremey Ayers até sua casa para cortar o cabelo de River no quintal. O resultado final foi um corte em tigela.

“Foi super doce e nada esperado, mas funcionou”, diz Stipe, que fotografou a transformação do cabelo de River. “Quando Jeremy acabou, River parecia Dorothy Hamill ou um dos garotos de The Little Rascals”, conta Stipe. “No dia seguinte, dirigimos para Atlanta para ver Natalie se apresentar novamente, e River e Jeremy usavam esses óculos de sol Joan Didion malucos – e aquele corte tigela e uma enorme camiseta rasgada. Parecíamos uma gangue e tanto. ”

Stipe diz que sua amizade com Phoenix ainda parece única até hoje. “Há um punhado de pessoas que conheci na minha vida que imediatamente senti, ‘Ahh, esta será uma amizade para a vida toda, OK, pronto’ ”, diz Stipe. “Conhecer River foi assim. Definitivamente havia admiração mútua pelo que cada um de nós tinha feito criativamente, mas além disso houve uma faísca instantânea, um calor, um parentesco. Tínhamos muito em comum em termos de ativismo e crenças sobre o meio ambiente e o vegetarianismo, mas também como utilizar a fama e uma plataforma pública para encorajar ideias progressistas ”.

Em muitos aspectos, o espírito de River ainda está envolvido no trabalho de Stipe, assim como o de Rain. Seu primeiro álbum solo, “River”, é dedicado ao irmão e também apresenta um dueto com Stipe em “Time Is the Killer”. Quando ela começou a LaunchLeft, foi para homenagear a vida e o trabalho de River. A plataforma dá aos artistas esquerdistas que, de outra forma, não conseguiriam exposição, uma saída.

Para River, o mais importante do que ser uma estrela foi encontrar essa parte verdadeira de si mesmo e ampliá-la com a fama que conquistou, diz Rain. Se River estivesse vivo hoje, ela não pode dizer o que ele estaria fazendo, mas ela sabe o que ele defendeu em seu ativismo e em sua arte. “Acho que ele seria um ótimo garoto-propaganda para 2020”, continua Rain. “Se a fama leva você para a capa das revistas, por que não usá-la para iniciar conversas sobre os problemas que todos enfrentamos – desespero, emergência climática, justiça racial, direitos dos animais, todos esses problemas que precisam de soluções. Ele estava fazendo isso quando era algo totalmente estranho nos anos 80. Minha mãe sempre diz que River era um ‘solucionário’, ele não gostava de pensar no que havia de errado com o mundo, mas gostava de procurar soluções. ”

Rain acredita que uma das maiores qualidades de seu irmão foi lembrar as crianças de sua geração – e agora uma geração mais nova – da faísca em sua verdade. “Todos nós temos tanto dentro de nós que vale a pena viver e crescer”, diz Rain. “Para ele, não era a coisa mais importante ter um disco de sucesso ou estar em um filme de sucesso. O mais importante era honrar a verdade em sua própria alma e em nosso país e em nosso mundo, e pensar em como todos nós somos capazes de entrar em nossa própria verdade e enfrentar qualquer adversidade, sabendo que temos magia dentro de nós. ”

Tradução por Aline.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *